Melhores trechos rodoviários do país estão no Sudeste

A ação de quadrilhas especializadas em roubo de cargas no estado causou, em 2015, prejuízo de R$ 212 milhões. Segundo a Federação das Empresas de Transportes de Cargas do Estado de Minas Gerais (Fetcemg), o valor apurado é resultado de ações de grupos especializados em roubos a motoristas e empresas de transportes.

De acordo com a Polícia Civil, oito quadrilhas especializadas nesse tipo de crime no ano passado foram desmanteladas. Quarenta e cinco pessoas envolvidas nos crimes foram detidas. O delegado Marcus Vinícius Lobo diz que as quadrilhas têm um grande número de integrantes e costumam agir de forma padronizada. “As carretas são interceptadas pelas quadrilhas geralmente ao longo da rodovia ou em algum posto de combustível”, conta o delegado, titular da 6ª Delegacia Especializada de Repressão ao Furto, Roubo, Antissequestro e Organizações Criminosas, do Deoesp.

As quadrilhas também utilizam armamento de grosso calibre, celulares, veículos de passeio e até caminhões para transferências de cargas durante os roubos. As cargas mais visadas pelos criminosos são produtos eletrônicos, seguidos de alimentos, bebidas, derivados de petróleo e produtos químicos agrícolas respectivamente. Ainda segundo o delegado Marcus Vinícius, a maioria dos crimes ocorreu nas BRs 040, 381 e 262.

Por causa dos roubos frequentes nessas vias, a Polícia Civil recomenda aos caminhoneiros e transportadores de cargas maiores evitar circular entre 17h e 5h, quando o tráfego é menor. A polícia também sugere que os motoristas não façam paradas em locais ermos e deem preferência aos postos de combustível próximos a unidades da Polícia Rodoviária ou concessionárias.

Deixe uma resposta