Jogos Olímpicos chegam ao Rio

Em 2 de outubro de 2009, uma reunião em Copenhague, Dinamarca, decidia algo que teria um impacto direto sobre os brasileiros, especialmente sobre os cariocas. Naquele dia, em sessão do Comitê Olímpico Internacional, foi decidido que os jogos olímpicos e paralímpicos de 2016 seriam disputados na cidade do Rio de Janeiro.

De lá para cá, sete anos se passaram e cerca de R$ 29 bilhões foram gastos em arenas esportivas e infraestrutura para a cidade olímpica. A pouco mais de um mês para o início das disputas, o Rio de Janeiro chegou em fase final de preparação. Agora, é só torcer pela finalização das obras pendentes, aproveitar os jogos e ver o que sobrará como legado para os cariocas.

 

Os jogos Olímpicos na era moderna, como é chamada a disputa de diversas modalidades que acontece desde 1896, chega no Rio à sua 31ª edição. Em 2016, serão disputadas 42 modalidades que contarão com representantes de 206 países. Ao todo, serão cerca de 12.500 atletas reunidos na cidade olímpica e dando seu máximo pelas medalhas de ouro, prata e bronze.

Algumas curiosidades vão marcar a Rio 2016, a primeira edição dos Jogos Olímpicos realizada na América do Sul. Os olhos do mundo inteiro estarão voltados para as belezas da Cidade Maravilhosa, mas também estarão atentos aos problemas de segurança comuns por aqui. Esportivamente, a maior esperança brasileira é que a seleção de futebol masculino enfim vença a competição e que a geração comandada por Neymar, conquiste o primeiro ouro na modalidade.

Outros esportes também terão destaque e boas possibilidades de medalhas. O Brasil é favorito para subir no pódio no vôlei feminino e masculino na praia e na quadra, o judô, a vela e a natação também devem manter algumas medalhas por aqui. No atletis

 

mo, há possibilidades de vitória, especialmente no pentatlo feminino e no salto em altura feminino. O basquete é outra modalidade que pode render alegrias à torcida brasileira.

 

Para o pós-jogos, há uma nuvem de incertezas sobre os cariocas. Por um lado, a expectativa é de que 350 mil turistas estrangeiros venham ao Rio de Janeiro durante os Jogos Olímpicos, o que vai gerar um aumento na demanda dos setores de serviços e do comércio. Será uma oportunidade de reativar a economia e fazer um bom saldo. Mas, há quem acredite que depois das disputas, os investimentos serão cortados e a crise se instalará de vez. Ao certo, somente fica que o Rio 2016 é uma oportunidade única para os cariocas aproveitarem o espírito olímpico e curtirem um evento espetacular no quintal de casa.

Deixe uma resposta