Pneu Verde é sinônimo de economia e sustentabilidade

O pneu é responsável por até 20% do consumo de combustível e, consequentemente, das emissões de poluentes – como o dióxido de carbono (CO2) – no ambiente. Pensando nisso algumas empresas pneumáticas desenvolveram a tecnologia do Pneu Verde.

Desde a sua invenção, em 1888, com John Boyd Dunlop, os pneus são feitos de borracha. Para atender às demandas ambientais e econômicas, as marcas têm investido em pesquisas que trabalham com novas matérias-primas. Uma delas, segundo supervisora especialista da KD Pneus, Mariana Bertolini, é o isopropeno renovável.

“Este composto é obtido a partir do tratamento da cana-de-açúcar e significa um grande passo no desenvolvimento de novidades para o setor. Além disso, esta descoberta pode contribuir significativamente para outras áreas e aplicações onde a borracha é utilizada”, afirma a profissional.

Vantagens e economia

A utilização de pneus verdes traz inúmeras vantagens para o motorista. O seu sistema de funcionamento é diferente dos comuns e resulta na economia de combustível. Desta maneira, eles acabam influenciando positivamente no seu orçamento e gastos em relação ao automóvel.

“Nos testes feitos, foi detectado que a quantidade de rolamento dos pneus, neste caso, é menor. Este fator está ligado com o combustível, pois quanto menor a rodagem, menos gasolina é necessária para que esta tarefa seja realizada”, explica Mariana.

Devido à sua estrutura, o desenho da banda de rodagem e os materiais utilizados durante a sua fabricação, este modelo de pneu é mais leve e durável, além de não emitir tanto ruído quanto os convencionais.

Deixe uma resposta