Eletromobilidade para o transporte urbano de passageiros e cargas

A mobilidade puramente elétrica pode reduzir as emissões de poluentes nas cidades e melhorar a qualidade de vida da população. Conceitos de veículos comerciais versáteis são necessários para cumprir as diversas necessidades de aplicações nos centros urbanos, mais especificamente de ônibus e caminhões de distribuição. No mercado, há um protótipo que promete alterar o panorama atual. O AVE 130. Com o novo desenvolvimento para aplicações em piso convencional, o sistema de tração central é especialmente adequado para ônibus menores e caminhões de distribuição e será apresentado este ano no Salão Internacional de Veículos Comerciais (IAA) de Hannover, Alemanha. O início da produção seriada está previsto para 2018.

Com um nível de tensão de 400 volts AC, em vez de 350 volts AC como no passado, o eixo ficou muito mais potente. Isso possibilita, por exemplo, tracionar um ônibus articulado totalmente lotado (cerca de 28 toneladas) utilizando apenas um eixo de tração puramente elétrico. Além disso, a estrutura do AVE 130 oferece mais versatilidade para as montadoras. Basicamente, sua instalação não exige mais espaço do que no caso de um eixo tipo pórtico convencional, o que significa enorme economia para as montadoras, já que não precisam desenvolver plataformas específicas para as soluções de eletromobilidade. O AVE 130 também oferece a opção de realizar conceitos totalmente novos para ônibus de piso convencional e articulados – estes últimos, por exemplo, possibilitam implementar um sistema de acionamento na modalidade “puller”, em que o eixo de tração “puxa” o veículo pelo segundo eixo em vez de “empurrá-lo” pelo eixo traseiro.

As opções para drivelines elétricos também aumentara. Agora, há um sistema de tração central, que permite ser combinado tanto com um eixo direto como com um modelo tipo pórtico. O novo sistema de tração central totalmente elétrico da ZF oferece o máximo de conforto para colocar o veículo em movimento sem interrupção do torque de acionamento de saída e levá-lo a uma velocidade final que, dependendo das características selecionadas – como a relação do eixo aplicada –, pode chegar a 100 km/h, tendo sido otimizado para a respectiva aplicação. O elevado conforto dos passageiros é resultado da geração extremamente baixa de ruídos, da aceleração sem interrupção da força de tração, além das vibrações reduzidas do driveline em comparação com as aplicações de motorização convencional. Dependendo das especificidades e requisitos do cliente, a potência necessária é fornecida por um motor assíncrono ou de campo permanente com refrigeração a água, que, com uma potência de até 200 kW, fornece um torque máximo de 4.200 Nm de saída na unidade. Dessa forma, os ônibus urbanos trafegam perfeitamente mesmo em todas as topografia das cidades, como trechos em aclive.

Deixe uma resposta