Trânsito intenso das estradas pode prejudicar componentes do carro

NGK recomenda check-up das velas de ignição para evitar problemas mais graves

O trânsito intenso das estradas, comuns nas férias e feriados como carnaval, podem ser prejudiciais ao veículo. De acordo com a NGK, empresa referência em sistemas de ignição, isso acontece porque, embora o carro permaneça parado, o motor continua funcionando. Por isso, é de extrema importância a revisão dos componentes da ignição após a viagem de férias.
“Muitas vezes o motorista se baseia apenas na quilometragem para realizar as revisões, o que não é correto. Em casos de trânsito intenso, por exemplo, a quilometragem não é alterada, mas os componentes continuam trabalhando sob condições severas”, explica Hiromori Mori, consultor de Assistência Técnica da NGK.
Conforme o especialista, a revisão preventiva evita dificuldades ao dar a partida, o consumo excessivo de combustível, falhas durante retomadas e aumento dos níveis de emissões de poluentes. “Devido à evolução tecnológica, os motores estão condicionados a trabalhar em situações adversas, o que impede que o motorista perceba a falha no início. Assim, quando o dono do carro identifica o problema ele já está em um estágio mais avançado e, provavelmente, já prejudicou outros componentes importantes”.
Dentre as peças que podem sofrer desgaste por conta do trânsito intenso estão os itens do sistema de ignição, como velas, cabos e bobinas. “A inspeção da vela é feita de maneira muito rápida. Apenas com a análise visual do componente é possível identificar problemas importantes. Por isso, ela deve ser priorizada na hora da revisão”, aconselha Hiromori.
Outro ponto positivo da revisão preventiva, conforme o consultor de Assistência Técnica da NGK, é o fato desse tipo de serviço ser, em geral, mais barato do que a manutenção em si. “Segundo algumas pesquisas do setor, o valor do reparo é, em geral, 30% mais caro do que a da inspeção”, diz Hiromori Mori que completa: “Além disso, a checagem garante mais segurança ao motorista, que não corre o risco de ficar sem o carro em um momento de necessidade”.

Deixe uma resposta