ZF lança Opcional para transmissão de dupla embreagem de oito marchas

Usando a nova transmissão de dupla embreagem de 8 marchas (8DT) como base – que teve o Porsche Panamera como o primeiro veículo a ser produzido em série equipado com o componente – a ZF e a Porsche desenvolveram em conjunto um kit de transmissão híbrido modular que suprirá todas as necessidades atuais e futuras de veículos esportivos. A nova transmissão esportiva para tração traseira e tração nas quatro rodas se distingue da concorrência devido aos seus tempos de mudança de marcha mais rápidos, alto nível de eficiência e máxima flexibilidade.
Um dos principais objetivos do projeto foi tornar a alimentação elétrica uma opção para esta transmissão. Graças ao novo projeto do conjunto de engrenagens, foi possível integrar um módulo híbrido de 100 kW sem aumentar o comprimento em comparação à atual transmissão esportiva 7DT. Isso também vale para a caixa de transferência de tração integral opcional, que aciona o eixo dianteiro da forma mais econômica possível, usando uma embreagem hang-on. Além disso, a perda de potência da transmissão básica é reduzida em até 28% – graças a vários fatores como a distribuição das relações de marchas, que em 11.17 é muito alta, a 8a marcha adicional e o sistema de lubrificação sob demanda. A unidade de controle de transmissão eletrônica aperfeiçoada foi desenvolvida e produzida de forma independente pela ZF. A nova transmissão é fabricada na planta de Brandemburgo, Alemanha.

“Na nova transmissão esportiva 8DT, combinamos mudança de marcha ultrarrápida, alto nível de eficiência e condução totalmente elétrica com a flexibilidade de integrar variações dentro do mesmo espaço de instalação sem comprometer nada”, disse o Dr. Jürgen Greiner, Head de Desenvolvimento de Transmissões de Veículos de Passeio da ZF Friedrichshafen AG. A resistência ao torque, desempenho esportivo, alto nível de conforto e eficiência da nova transmissão de dupla embreagem de 8 marchas ultrapassam a qualidade da atual 7DT, apesar das dimensões de instalação permanecerem praticamente inalteradas. A perda de potência pode ser reduzida em até 28%, e os já rápidos tempos de mudança de marcha foram aprimorados ainda mais. “As primeiras seis marchas e sua gradação compacta servem para otimizar a aceleração até a velocidade máxima. Por outro lado, a 7ª e 8ª marchas são configuradas como overdrive, de forma a reduzir significativamente a rotação e o consumo de combustível, mesmo sem usar a alimentação elétrica”, explica Greiner.

Deixe uma resposta