Evento da ANDAP destaca a crise econômica e os reflexos para o setor na AUTOMEC 2017

A Associação Nacional dos Distribuidores de Autopeças/Sindicato do Comércio Atacadista Importador, Exportador e Distribuidor de Peças, Rolamentos, Acessórios e Componentes para Indústria e para Veículos no Estado de São Paulo, promoveram o 1º Business Meeting com o jornalista Carlos Alberto Sardenberg que avaliou a situação econômica e política do País, durante o segundo dia da 13ª Automec, no dia 26 de abril.

O jornalista da CBN Brasil, Carlos Alberto Sardenberg falou sobre a crise econômica e suas consequências. “Há uma efetiva melhora na economia e podemos dizer que a recessão acabou. O último biênio foi bastante difícil, pois tivemos inflação e juros altos”, afirmou o comentarista econômico.

Para ele, a situação está melhorando devido aos ajustes das contas públicas. “O primeiro trimestre de 2017 foi melhor que o previsto para o setor. Teve crescimento da produção de veículos e aumento da confiança na indústria”.

 O presidente interino da ANDAP, Rodrigo Carneiro explica que o setor foi afetado pela instabilidade da economia, o que dificultou as relações B2B e na manutenção preventiva. “Mas tivemos um crescimento devido ao aumento da frota. As expectativas para os próximos anos são bastantes positivas”, destaca.

No Brasil, há incertezas para a continuidade do ajuste da economia, crise fiscal dos Estados e a Lava Jato. “É um avanço, se interromper a Lava Jato será um desserviço para o País”, comentou.

Sardenberg disse também que um dos maiores problemas são contas públicas. O déficit primário do governo federal em 2016 foi de R$ 154 bilhões e o da previdência social, R$ 149 bilhões. “Há alguma dúvida sobre a necessidade de reforma?”, questionou. Segundo o jornalista, é preciso ajustar as contas públicas.

Mas, os investimentos diretos de estrangeiros mostram confiança. Em março, foram 8 bilhões dólares no País e não é no mercado financeiro. Nos últimos 12 meses, 85 bilhões de dólares. “Há confiança na economia. É um País com grandes oportunidades, têm estradas, aeroportos e privatizações para serem feitas”, comentou.

Ao final da apresentação, Sardenberg falou que mesmo no momento delicado que o País atravessa, há oportunidades e chance de sair deste cenário complicado. “Aprovando a reforma trabalhista e previdenciária, o Brasil decola”, finalizou.  O evento foi encerrado com a participação de Dan de Ioschpe, presidente do Sindipeças, que fez uma apresentação sobre as tendências do mercado com o advento dos carros autônomos e como esse fator se refletirá no uso do automóvel.

Representantes do setor falam sobre momento econômico – Para Helton Andrade, presidente do Sincopeças de Belo Horizonte (MG), a crise afetou a questão tributária. “A situação política afeta o comércio, mas acreditamos em melhoras econômicas apesar da instabilidade atual”, diz.

Sergio Montagnoli, diretor de vendas e marketing da Nakata, comentou que o mercado de reposição não foi afetado pela crise.  “A economia melhorou, o que foi positivo para as empresas. Estamos vivendo em um novo cenário”, completa.

Álvaro Pereira, diretor do Sincopeças de SP, expôs sua satisfação com a Feira em destacar esse tema. “O mundo está em crise, mas estamos sempre otimistas. O evento muda a cada edição e esse ano me surpreendeu positivamente”, disse.

Deixe uma resposta