Sincopeças-SP promove fórum sobre conectividade em veículos

Plataformas ajudam a alavancar os negócios para o setor de autopeças.

No primeiro Fórum Sincopeças 2017 – A tecnologia dirigindo o futuro do aftermarket, realizado no dia 27 de abril, na Automec, foi apresentada uma nova ferramenta para o mercado de reposição de autopeças, equipamentos e serviços trabalhar com o aftermarket e facilitar a relação comercial com o segmento. Trata-se do Caruso, uma plataforma, desenvolvida na Europa há oito meses, e que faz a informação que vem do aplicativo de um veículo, ou seja, do dono de um carro, não parar nos fabricantes e nas montadoras, mas, sim, chegar ao segmento que pode responder à solicitação em tempo real.

Para Francisco De La Tôrre, presidente da Sincopeças, sem dúvida alguma, “o setor automobilístico está passando por uma revolução que será maior ou igual ao que causou Henry Ford com seu Ford T, pelo impacto que as novas tecnologias trarão aos players da cadeia e aos usuários”. Ele também comentou sobre a 13ª edição da Automec, destacando a importância do evento como suporte para difusão de conteúdo e atração de um maior número de varejistas. “Estipulamos uma meta para crescer em 25% e vamos alcançar esta cifra com certeza”.

Para explicar um pouco sobre o possível funcionamento da ferramenta, o CEO da TecAlliance, Jurgen Buchert, participou do encontro. “A informação que vem do carro, direto para o fabricante e para a montadora, nem sempre é compartilhada. E essa foi o cerne do nosso questionamento: como vamos fazer isso?”, conta o executivo. Ele afirmou que a resposta foi a união de representantes do setor para a criação da plataforma e o acesso aos envolvidos. “Dessa forma, coletando dados, padronizando dados e os compartilhando com o mercado podemos continuar crescendo com os negócios”, afirma.

A plataforma Caruso está prevista para ser lançada em julho deste ano.

Easy Carros

Fernando Saddi, CEO da Easy Carros, também foi convidado do primeiro Fórum Sincopeças deste ano. Para atender uma demanda de mercado, elaborou e colocou em prática uma plataforma que oferece serviços automotivos na geração do software, onde o dono do carro recebe dados sobre, por exemplo, que está na hora de trocar os pneus junto com uma relação de prestadores de serviços, os quais, ainda, atendem no local estabelecido pelo usuário. “Os donos dos carros não serão mais as pessoas e, sim, as empresas; o coração do veículo será o seu sistema operacional, e seu cérebro terá o comando da inteligência artificial. E isso já está acontecendo e, em breve, será essencial para verticalização da indústria automotiva”, garante.

Deixe uma resposta