Lombadas eletrônicas pouparam 70 mil vidas em 25 anos

Estudo aponta que a cada equipamento de fiscalização eletrônica instalado, são evitados cerca de três óbitos e 34 acidentes por ano

A incidência de acidentes de trânsito está diminuindo em algumas capitais brasileiras. De acordo com a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano de Recife (CCTU), o número de ocorrências dessa ordem reduziu em 30% na capital pernambucana, de 2014 a 2016. Os dados apontam que em 2014 aconteceram 2.547 acidentes com vítimas, contra 1.771 sinistros em 2016. O volume de feridos no trânsito também diminuiu. Em 2014 foram 3.120; dois anos mais tarde, esse número desceu para 2.165 – o que representa uma queda de 30,6%.

As estatísticas também são favoráveis em Maceió. Dados divulgados pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) demonstram que 3.220 acidentes de trânsito foram registrados pelo órgão nas vias públicas da capital alagoana em 2016, uma queda de 18,9% em relação a 2015.

Em Recife, o principal fator de redução foram os equipamentos de fiscalização eletrônica, implantados com maior frequência a partir de 2014. Em Maceió, as estatísticas positivas são fruto da intensificação do trabalho das equipes da SMTT e dos equipamentos de fiscalização.

Conforme o diretor e especialista em trânsito da Perkons, Luiz Gustavo Campos, equipamentos de fiscalização eletrônica, como os populares pardais e as lombadas eletrônicas, acabam por inibir o condutor a praticar altas velocidades. Além disso, muitos desses dispositivos possuem outras funções, como registrar avanço de sinal vermelho, circulação em faixa exclusiva, conversões proibidas e localizar veículos procurados pela polícia. “A aplicação dessa inteligência multifuncional nas vias proporciona mais eficácia e efetividade na fiscalização, tornando o trânsito mais seguro, humano e democrático”, pondera.

Não é à toa que a fiscalização eletrônica seja considerada grande aliada da segurança viária e da gestão de trânsito. Prova disso é a queda de 59% no número de acidentes e de cerca de 190% no número de vítimas entre 2011 e 2012 em Porto Alegre, um ano após a instalação de radares fixos da Perkons. “Nesses locais, foram obtidas reduções de velocidade da ordem de 10% a 47%, uma média de 24%”, completa a coordenadora de Informações de Trânsito da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Fabiane da Cruz Moscarelli.

O excesso de velocidade é a causa de uma em cada três mortes por acidentes de trânsito em todo mundo. Uma pesquisa do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) atrela a fiscalização eletrônica à redução de 60% de óbitos e 30% de acidentes no trânsito. Daí a importância desses equipamentos também ao lembrar o motorista de tirar o “pé do acelerador”.

Sentinela no trânsito

No Brasil, o desenvolvimento e a implantação de equipamentos de fiscalização eletrônica teve início há 25 anos com a invenção da lombada eletrônica pela Perkons. Tal invenção tem uma história curiosa. No início dos anos 90, engenheiros da empresa paranaense sofreram um leve acidente ao passar por uma lombada física, e começaram a pensar em uma forma mais eficiente e menos abrupta de se reduzir a velocidade. Até então, não existia no mundo qualquer equipamento similar.

Depois de muito estudo, trabalho e persistência – uma vez que não existia legislação específica e nem costume social para isso – em 20 de agosto de 1.992 foi instalado o primeiro modelo da lombada eletrônica na Rua Franscisco Derosso, uma das vias mais movimentadas de Curitiba (PR). De tão inovadora, a engenhoca foi incluída no livro 101 Inovações Brasileiras.Adotada hoje em larga escala – e extrapolando as fronteiras do território nacional, estando em países como Peru, Equador e Colômbia -, a lombada eletrônica evitou, conforme estudo do Ibmec/RJ, mais de mil mortes e de 12 mil acidentes nas rodovias federais brasileiras somente no ano 2004. O mesmo estudo aponta que, a cada equipamento de fiscalização eletrônica instalado, são evitados cerca de três óbitos e 34 acidentes por ano.  “Por essa base podemos estimar que, até 2016, nossa atividade poupou cerca de 70 mil vidas no Brasil”, calcula o diretor e especialista em trânsito da Perkons. Atualmente, a companhia conta com 494 lombadas instaladas em treze estados.

Deixe uma resposta