Especialista comenta crescimento da blindagem em São Paulo

Dados exclusivos do Exército Brasileiro: São Paulo é responsável por 70% dos processos de blindagem automotiva e conta com mais da metade das blindadoras do país.

Segundo dados exclusivos obtidos junto ao Exército Brasileiro, somente no primeiro semestre de 2017, mais 5.332 veículos receberam autorização do órgão, responsável pela fiscalização de veículos blindados, para realizar o procedimento no estado de São Paulo. De acordo com informações da 2ª Região Militar, existem hoje, 280 blindadoras de veículos – mais da metade da totalidade do país, que é de 411.

O segundo estado em número de blindagens é o Rio de Janeiro, com 1079 veículos blindados, seguido pelo Ceará, em terceiro, com 522 carros blindados no primeiro semestre.

Reflexo dos altos índices de violência e insegurança, o Brasil é líder mundial em blindagem, com mais de 200 mil veículos blindados, ultrapassando países como Estados Unidos, México e Colômbia. “O aumento da criminalidade está diretamente ligado ao consumo e tráfico de drogas, com registros de latrocínio, roubos de casos, além dos aumentos de casos de violência sexual contra mulheres, levando as famílias a incluir a segurança no orçamento familiar para evitar riscos”.

Sobre a publicação da Portaria nº 55, que trouxe novas regras para fabricação, locação e venda de veículos blindados, Glauco Splendore, ressalta que o impacto passa a ser positivo para o cliente, que terá maiores garantias quanto a proteção obtida, além de a medida contribuir também para ampliar a fiscalização sobre os procedimentos.

Entre as novas imposições do Exército, está proibida a reautoclavagem de vidros delaminados, peça única de blindagem para veículos com teto solar e a necessidade de Certificado de Registro (CR) para proprietários de veículos.

“Nos últimos dias tivemos uma grande procura por clientes que buscam estar de acordo com as novas regras de blindagem. Estimamos, em nossa fábrica, um aumento de até 20% no movimento até o fim do ano”.

 

Deixe uma resposta