Confiança do consumidor elevará vendas de carros em 2018

As vendas de veículos leves, categoria que engloba automóveis e comerciais leves, fecharam 2017 com a marca de 2 milhões 175 mil 987 unidades, volume que representou crescimento de 9,4% sobre os licenciamentos feitos em 2016. De acordo com a Anfavea, que apresentou o balanço do ano passado, no dia 5 de janeiro, o crescimento se deu pela retomada do crédito e a redução do desemprego, que possibilitou a realização de financiamentos por um consumidor mais confiante. Dados da entidade mostraram que a média de financiamentos nas vendas foi de 50%.

Os automóveis responderam por 1 milhão 856 mil 97 unidades do total vendido pelo setor ano passado, alta de 9,9% frente o acumulado de 2016. O modelo Chevrolet Onix, da General Motors, foi o carro mais vendido no País, alcançando a marca da 188 mil 654 unidades. As vendas do modelo consolidaram a GM como líder do mercado ano passado –  no total, a empresa vendeu aqui 348 mil 829 veículos, segundo dados do Renavam.

De acordo com Antônio Megale, presidente da Anfavea, o otimismo do consumidor deverá manter o crescimento das vendas de automóveis em 2018. Ainda que os veículos considerados de entrada pelas montadoras tenham sido os mais vendidos no País no período, a entidade espera que a alta de 11,7% projetada para o ano seja viabilizada pelas vendas de SUVs e sedãs:

“Uma categoria que pode impulsionar as vendas de veículos este ano é a dos automóveis sedãs, porque aumentou o número de modelos que concorrem neste segmento que andou esquecido”. De fato, o número de sedãs no mercado brasileiro com a chegada dos modelos Volkswagen Virtus e Fiat Cronos, com vendas projetadas para começarem este ano e, mais para adiante, a do Toyota Yaris. “Ainda que tenham sido lançados também modelos compactos, que têm grande penetração na base de clientes, os sedãs devem movimentar o mercado e refletir positivamente nas vendas”.

Seguem a GM em maiores volumes de vendas as feitas pela FCA, segunda empresa que mais emplacou veículos ano passado, chegando a 261 mil 72 unidades. O volume, que representa alta 4,4% ante o desempenho comercial de 2016, inclui as vendas dos veículos Fiat, 172 mil 361 unidades, e Jeep, 88 mil 201 unidades.

Estes últimos, especificamente os modelos Renegade e Compass, permitiram ao grupo terminar o ano com um indicador positivo em meio às suas demais das marcas. Os emplacamentos de ambos foram 49,4% maiores no ano passado que em 2016. Desempenho importante da marca também foi na categoria de comerciais leves – as vendas do modelo Fiat Toro levaram a empresa a terminar como líder no segmento. Foram 118 mil 986 unidades vendidas, mais da metade das vendas de toda a categoria em 2017: 317 mil 369, alta de 6,7% ante acumulado de 2016.

Combustível – Os flex fuel representaram 88,6% das vendas totais de automóveis ano passado, 1 milhão 927 mil 224 unidades. Os movidos apenas à gasolina responderam por uma fatia de 3,2% das vendas, 68 mil 900 unidades.  Os veículos híbridos fecharam o ano com vendas da ordem de 3 mil 296 unidades e representam 0,2% do mercado de automóveis.

http://www.agenciaautodata.com.br/noticias_interna.php?id=25936

Deixe uma resposta