Diversificado salão de Genebra

Tempestades fortes de neve, na semana anterior à abertura, parecem ter proporcionado um alento ao Salão de Genebra, que se encerra no próximo domingo. Essa exibição anual vem sofrendo forte retração de rentabilidade, a exemplo de outros salões, mas mantém seu charme de exposição enxuta e atraente. Esta edição está bem recheada por mais de 20 lançamentos mundiais de peso.

Frenesi elétrico continua como elemento importante em vários estandes, mas começa a perder algum fôlego. Fabricantes – BMW, Nissan, Renault e Tesla – que se anteciparam nessa corrida tecnológica alcançaram, até agora, resultado financeiro bem aquém do imaginado. Jaguar, por exemplo, estreou seu primeiro elétrico, o SUV médio I-Pace baseado no F-Pace, mas tratou de terceirizar a produção para a austríaca Magna Steyr, sem prever volumes. Nissan estreou o crossover elétrico IMx Kuro.

Volkswagen completou sua família conceitual I.D. de modelos elétricos com o Vizzion, previsto para entrar em linha em 2022. Será o modelo topo de gama e graças à arquitetura enxuta típica pode oferecer relação espaço interno/externo bem superior à convencional. Também anunciou início do serviço próprio de transporte compartilhado chamado MOIA. Renault EZ-GO, micro-ônibus autônomo conceitual, igualmente entra nessa onda de mobilidade alternativa.

Ainda na vertente elétrica, Porsche tem o Mission E Cross Turismo de linhas inspiradas no sedã-cupê Panamera e tração 4×4. Espera-se que versão definitiva não se renda à “síndrome dos penduricalhos”, pois o exibido em Genebra recebeu apliques nos arcos de rodas.

Entre os carros convencionais um dos destaques é a nova geração do Audi A6, de linhas equilibradas e atraentes. Mercedes-Benz não ficou para trás. Um dos modelos que mais chama atenção é o sedã-cupê de quatro portas AMG GT-R. Há, também, nova geração do Classe A e revitalização do Classe C a ser produzido em Iracemápolis (SP). BMW reformulou o X4, suavizando as linhas traseiras volumosas, com montagem prevista em Araquari (SC); apresentou, em estágio de pré-produção, o elegante M8 Grand Coupé.

Entre os carros que interessam ao mercado brasileiro de grande volume, destaque para o C4 Cactus, segunda geração. A Citroën confirmou produção em Porto Real (RJ). Lançamento previsto para o terceiro trimestre e vidros de descer nas portas traseiras sem o sistema basculante original. Ford Ka apareceu em espaço meio escondido no estande com retoques visuais também previstos para o modelo brasileiro, inclusive no interior.

Skoda Vision, embora bem disfarçado principalmente na parte interna, antecipa o VW T-Cross a ser produzido em São José dos Pinhais (PR), a partir de janeiro do próximo ano. Ambos usam arquitetura MQB e mesma distância entre eixos do Virtus.

Outros modelos novos em Genebra que serão importados: quarta geração do Hyundai Santa Fe ganhou linhas mais rebuscadas, Peugeot 508 demonstra enriquecimento estilístico da marca francesa e Lexus UX, boa evolução do CT200 Hybrid.

O Salão reserva um bom espaço para supercarros esporte. Este ano, a desconhecida Corbellati promete lançar um cupê de 1.800 cv que seria o de maior potência do mercado, sem revelar pormenores. Se vai vingar, é outra história.

 

 

Alta Roda
Por: Fernando Calmon
Fernando Calmon – Autor da Coluna Alta Roda

___________________________________________________

fernando@calmon.jor.br e http://www.facebook.com/fernando.calmon2

Fernando Calmon

One thought on “Diversificado salão de Genebra”

Deixe uma resposta