Previsão aponta crescimento de 30% no Mercado de caminhões em 2018

As perspectivas para 2018 são animadoras na visão dos principais executivos da Mercedes-Benz, marca líder do mercado de veículos comerciais: com previsão de crescimento do PIB e da taxa Selic chegar 6,5% até o final do ano, as condições econômicas estão interessantes para quem quer investir na visão da área comercial da montadora.

E os números reforçam esta tese. Foram comercializados mais de 6.200 veículos comerciais entre dezembro e janeiro: 4000 ônibus, 1073 caminhões e 1154 comerciais leves da linha Sprinter. O agronegócio, logística, transporte de combustíveis e químicos, mineração e madeira foram segmentos que mais investiram o que leva a montadora a estimar um crescimento de 30% nas vendas de caminhões em 2018 na comparação com o ano passado.

Segundo dados da Anfavea, a associação dos fabricantes, no total o licenciamento de caminhões somou em janeiro 4,6 mil unidades, aumento de 54,8% sobre as 2,9 mil unidades de janeiro do ano passado e diminuição de 24,9% se defrontado com as 6,1 mil de dezembro.

Frotas

A Raízen/Shell, principal fabricante de etanol de cana-de-açúcar do Brasil, acaba de negociar 533 caminhões sendo 300 Actros para transporte de combustível na Divisão Shell e 233 Axor para operações fora de estrada. No total são 1.057 extrapesados da marca vendidos para operações da empresa em apenas seis meses, uma vez que a companhia havia adquirido 524 unidades em julho de 2017.

“Estamos na melhor fase de produtos da Mercedes-Benz. Nunca estivemos tão maduros com soluções em todos os segmentos, dos pesados aos semi- leves. Os números de vendas nos motivam a continuar perseguindo o mote ‘As Estradas falam. A Mercedes-Benz ouve’, entregando ao cliente o produto por ele desejado, atendendo suas expectativas de rentabilidade, conforto e segurança”, afirma Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças & Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz.

Deixe uma resposta