Veículos de “zero emissão” são de verdade “zero emissão”?

Estamos todos familiarizados com os ‘veículos elétricos de emissão zero’ mais famosos como Tesla, BMW i3 e Nissan Leaf. Eles vendem a imagem de emissão zero e, geralmente, a ideia de um futuro mais limpo e melhor. No entanto, se você analisar o processo de criação desses automóveis desde sua fabricação até a eventual eliminação, quantas emissões ao longo da vida eles realmente liberam? Há três partes neste processo:

A produção: quantas emissões são lançadas durante a produção do veículo? Isso inclui todas as emissões dos fornecedores para a produção, mineração, entrega e empacotamento das peças.

O uso do veículo: quantas toneladas de CO2 são emitidas na queima de combustível comparado com a quantidade emitida na geração de eletricidade para um carro elétrico?

Descarte do veículo: quantas emissões são gastas durante o descarte do veículo?

Aqui é uma análise curta para você entender de verdade quão mais limpo é um carro elétrico. Vamos dar uma olhada mais profunda:

Produção

Vamos começar com um exemplo ilustrativo das instalações de produção de bateria da Tesla e os processos envolvidos na sua montagem. O IVL, o Swedish Environment Institute, apresentou um relatório que descreve o potencial impacto do carbono da produção de baterias. Ele mostra que a produção de baterias dá origem a 150-200 quilos de equivalente de CO2 por quilowatt-hora de bateria produzida. Tesla Model S, por exemplo, tem uma bateria de 100 kWh, o que significa que quando alguém compra o carro, ele(a) já está levando para casa uma bateria que criou uma média de 17,5 toneladas de CO2 em seu processo de produção.

Segundo o The Guardian, uma revista britânica, um carro de médio porte gasta 17 toneladas de CO2 durante o processo de produção. Esse número é semelhante ao de um carro elétrico, não incluindo a bateria. Contudo, os carros elétricos precisam ser leves, o que significa que eles incluem muitos metais de alto desempenho. Outros, metais raros estão espalhados por todo o carro, principalmente nos ímãs que estão em tudo, desde os faróis até a eletrônica de bordo. Então, enquanto um carro tradicional gasta só 17 toneladas de CO2, um carro elétrico gasta um total de 34,5 – resultado de 17,5 na bateria e mais 17 no resto dos componentes.

Mesmo assim, um carro elétrico gera mais ou menos 2x mais CO2 do que um carro tradicional. A bateria dentro dos carros elétricos é muito suja e gera muita emissão.

O Uso do Veículo

É verdade que um carro elétrico tem “zero emissões”. Mas de onde vem essa eletricidade?

Nos EUA, apenas 30% da eletricidade vem de fontes renováveis como a hidrelétrica, nuclear e solar. Logo, os carros elétricos fazem pouca diferença porque ao invés de queimar combustível no carro, está queimando combustível, gás natural, ou carvão para criar aquela eletricidade. Quando você ponderar a fonte de eletricidade do país, o Union of Concerned Scientists, você chega nos números abaixo:

Em resumo, um carro tradicional cria 3x mais CO2 durante a vida útil, mas ainda gera menos emissões que o carro elétrico quando incluído as emissões com a sua fabricação.

Descarte

O descarte é a reciclagem das peças e a gestão dos resíduos. As emissões de descarte são tipicamente menos que 1% das emissões da vida do veículo e são 0,3 toneladas para carros elétricos (assumindo a reciclagem responsável da bateria) e 0,15 toneladas para um carro tradicional.

Então, será que veículos de “zero emissão” são de verdade “zero emissão”?

No total, carros elétricos criam menos emissões, mas eles produzem muito mais na produção e menos no uso. Você também acaba mudando o problema de petróleo para cobalto e lítio, produtos com processo de mineração bem sujo, que são os componentes principais nas baterias. No fundo, os problemas não foram resolvidos. Apenas mudaram o problema de materiais de uso como combustível para materiais de produção como a bateria.

Você precisa usar um carro elétrico minimamente por 3,8 anos para de verdade criar menos emissões. Para carros de frota e outros carros super usados e com uma vida mais curta, provavelmente carros tradicionais serão mais limpos. Dito isso, a tecnologia de bateria está acelerando bastante e deve dobrar em potência nos próximos 7-8 anos, segundo o banco Liberum.

Ainda com a tecnologia de bateria acelerando, existem carros tradicionais leves que tem menos emissões de vida que alguns carros elétricos. Por exemplo, carros de 500Kg como o francês Ligier microcarro ou o “kei car” do Japão têm as menores emissões de qualquer carro.

Então, se você quiser de verdade criar menos emissões até a tecnologia de bateria ser aperfeiçoada, a melhor coisa a se fazer é usar um carro com menos peso!

Parker Treacy é fundador e CEO da Cobli, startup especializada

em gestão de frotas, telemetria e roteirização.

 

Deixe uma resposta