ZF apresenta conceito de eixo híbrido com transmissão manual automatizada

A ZF apresenta um novo conceito de eixo híbrido para veículos com tração dianteira transversal: a tecnologia eAMT, que integra o acionamento elétrico no eixo traseiro (eVD) e uma transmissão manual automatizada (AMT) em um único sistema. Indicado para veículos compactos, o sistema eleva o nível das transmissões automatizadas, permitindo tração integral e eliminação da interrupção da força de tração, além de promover a redução de emissões.

Atualmente, aplicar conceitos de hibridização em veículos compactos com tração dianteira e sensíveis a preço enfrenta barreiras como custos adicionais de desenvolvimento, peso ou espaço limitado para a instalação. Neste cenário, a automatização das transmissões manuais é uma maneira encontrada pela empresa para aumentar significativamente o conforto e a eficiência da condução, uma vez que não será mais necessário acionar a embreagem ou trocar de marcha.

“Com o eAMT, a ZF desenvolveu um motor híbrido plug-in completo para veículos com tração dianteira transversal. Isso aumenta a flexibilidade para os fabricantes de veículos: eles podem utilizar plataformas existentes para implementar máquinas convencionais ou híbridas plug-in”, explica o desenvolvedor funcional de propulsões elétricas da ZF, Norman Schmidt-Winkel.

No conjunto, o atuador da transmissão e o eixo traseiro elétrico operam com interação inteligente, o que resulta no conceito do eAMT, que não interrompe a força de tração. Graças ao seu design, o motor elétrico preenche a lacuna na força de aceleração da AMT. Além das funções híbridas de acionamento elétrico, recuperação e impulso, o eAMT oferece também tração elétrica às quatro rodas. O software da ZF regula a rede e coordenação do motor de combustão interna, do motor elétrico e da transmissão automatizada.

Segundo a ZF, o acionamento elétrico adicional e o gerenciamento de acionamento inteligente conferem um nível de conforto e desempenho ao eAMT semelhante ao de câmbio conversor de torque ou transmissão de embreagem dupla. Assim que a AMT engata uma nova marcha, há uma interrupção da força de tração, o que é comum para transmissões manuais automatizadas. Com sua função de suporte de torque de tração, o novo eAMT compensa quase que totalmente essa pequena interrupção na força de aceleração.

“O motorista ignora absolutamente as sequências complexas do sistema e dos processos de controle executados em segundo plano. Ao acelerar, apenas os benefícios de uma aceleração totalmente livre de solavancos podem ser sentidos. Anteriormente, esses benefícios só estariam disponíveis em veículos híbridos muito mais caros, com transmissões mais complexas”, diz Schmidt-Winkel. “Também utilizamos o potencial do sistema eAMT para outros recursos que aumentam a eficiência e a segurança na direção”, completa.

Além de suportar mudanças de marcha, o acionamento elétrico do eixo traseiro também pode ser ativado automaticamente e em velocidade-relâmpago, assim que um impulso adicional for necessário em uma ultrapassagem, por exemplo, ou quando a tração nas quatro rodas for necessária em trechos escorregadios da estrada. Além disso, a ZF dimensionou o motor elétrico em um veículo de demonstração para ser mais potente para que tenha capacidade de se mover apenas com energia elétrica: com isso, o veículo trafega em modo totalmente elétrico e com zero emissões locais. Para a ZF, tal modo de operação é especificamente apropriado à condução urbana, modo de fluência em engarrafamentos, assim como manobras e estacionamentos em geral. O eAMT também permite poupar energia enquanto desliza junto com o acionamento do motor de combustão desengatado.

Deixe uma resposta