Eletrificação ganha impulso no setor automotivo

2
96

Eletrificação ganha impulso  – Em 2019 veículos elétricos devem ganhar destaque em vendas com ações das montadoras e incentivos. O Setor Automotivo caminha para um futuro de novidades e desafios.

Com avanços tecnológicos que vão desde a produção mais eficiente com a implementação da indústria 4.0 até o design mais aerodinâmico e de menos atrito do pneu que garante economia no consumo e menor desgaste, um tema ainda sobressai: energia elétrica.

Nissan Leaf

Ao mesmo tempo em que representa um avanço tecnológico contínuo, domina as discussões por ser eficiente, estar alinhado com as crescentes demandas por cuidados com o meio ambiente, além de ser uma das alternativas mais confiáveis na substituição dos combustíveis fósseis. Ainda que mais caros na aquisição, os automóveis elétricos custam, normalmente, menos aos seus donos na manutenção e, principalmente, no abastecimento.

Novos modelos elétricos em 2019

Seguindo essa tendência, os veículos elétricos vêm crescendo na atenção das montadoras e dos consumidores. Os últimos números, apresentados ainda em 2018, indicavam 3,2 milhões de unidades na frota mundial. No Brasil, segundo o DENATRAN, o desempenho é mais tímido, são apenas 8.182 modelos elétricos emplacados (a frota híbrida – movida por gasolina e eletricidade – possui 11.250 unidades).

Chevrolet Bolt

Apesar da frota ainda irrelevante, 2019 deve representar uma mudança para os entusiastas dos elétricos. São ao menos quatro lançamentos confirmados para este ano que devem impulsionar as vendas. O Chevrolet Bolt, consolidado no mercado norte-americano, chega ao Brasil e deve custar a partir de R$ 175 mil. O Nissan Leaf, o elétrico mais vendido do mundo, chega a terras tupiniquins e partirá de R$ 178.990. Sucesso em outros países deve ter peso real nos números por aqui.

Renault ZOE

Os destaques, entretanto, devem ficar por conta do Renault ZOE e do JAC E40. O modelo francês conta com um motor R90, que gera 92 cv e 22,4 mkgf de torque. Isso é equivalente a um motor 2.0 aspirado. A bateria do Zoe é outro ponto forte no veículo, com a tecnologia Z.E. 40, capaz de entregar autonomia de 300 km no ciclo europeu WLTP.

Em tomada trifásica de 22kW, essa bateria recupera 80% de sua carga em 1h40min. (o modelo já é vendido para empresas, mas será disponibilizado para o público geral) custando a partir de R$ 149.990. Já o chinês será o elétrico mais barato por aqui, partindo de R$ 129.990.

Cidades apresentam vantagens para veículos elétricos

Além dos lançamentos que devem chamar a atenção do grande público, outras ações proporcionam um ambiente positivo. Seguindo o modelo adotado inicialmente com o transporte público – onde cidades como Campinas, Piracicaba, Santos, São Paulo, Brasília, Balneário Camboriú criaram programas de ônibus 100% elétricos para atender linhas urbanas – alguns estados e municípios preparam ações para incentivar os emplacamentos de veículos elétricos de passeio.

O Paraná, por exemplo, anunciou no dia 21 de março a isenção de IPVA para os veículos elétricos e o governador Ratinho Jr. ainda busca a aprovação para isentar os compradores de ICMS. Outra importante ação no estado foi da Copel, companhia de energia, que criou rede de eletropostos na BR-277, estrada que liga a cidade litorânea de Paranaguá a Foz do Iguaçu, no extremo Oeste. São oito pontos de recarga.

Montadoras investem em eletrificação

As montadoras preparam investimentos no Brasil e no mundo para os veículos elétricos. A Volkswagen, ao revelar seu balanço financeiro do primeiro bimestre do ano, disse que vai ampliar de 50 para 70 o número de modelos elétricos que serão lançados até 2028. Com isso, a meta é alcançar a venda de 22 milhões de unidades com a tecnologia em 10 anos.

JAC E40

A General Motors anunciou, também em março, planos de investir mais US$ 300 milhões (quase R$ 1,2 bilhão) na fábrica de Orion, na região metropolitana de Detroit, que já constrói veículos elétricos e autônomos para a Chevrolet. Esse novo aporte faz parte de um plano total de US$ 1,8 bilhão (quase R$ 7 bilhões) e vai empregar mais 700 pessoas diretamente, além de uma rede indireta de 28 mil pessoas em seis estados, informa a empresa.

No Brasil, quem prepara um sólido plano de eletrificação é a Nissan. A fabricante tem a meta de até 2022 ultrapassar um milhão de veículos eletrificados vendidos por ano no mundo todo. O mercado brasileiro entrará nessa conta com mais vigor por meio da adoção de uma plataforma híbrida global em série, que combina tração 100% elétrica com motor a combustão para gerar energia. Enquanto não se definem outras possibilidades, a montadora japonesa começa seu plano de eletrificação no Brasil com o Leaf, carro elétrico mais vendido do mundo (380 mil unidades já foram comercializadas desde 2010).

2
Deixe um comentário

Deixe uma resposta

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of

[…] – SOLUÇÕES PARA ELETRIFICAÇÃO, CONECTIVIDADE E DIREÇÃO AUTÔNOMA, com Leonardo Vecchi, Alexandre Pagotto, Carlos Pereira e […]

[…] Carros elétricos estão pegando ritmo. O preço baixo do petróleo não vai mudar esse fato. Esta foi a mensagem sublinhada pelo Dr. Volkmar Denner, presidente do conselho de administração da Robert Bosch GmbH, no Simpósio de carro em Bochum, na Alemanha. […]