Indústria Automotiva tem melhores resultados desde 2014

450

Automotiva tem melhores resultados – Fabricação de veículos alcança, nos nove primeiros meses de 2019, a marca de 2 milhões de veículos pela primeira vez desde antes da crise.

Pela primeira vez desde 2014, o mercado interno de veículos acumula a venda de 2 milhões de veículos nos primeiros nove meses do ano, com crescimento de 9,9% sobre o mesmo período do ano anterior. As exportações seguem em queda, com 337,5 mil veículos produzidos no Brasil embarcados para outros países de janeiro a setembro, número 35,6% menor do que o verificado em idêntico intervalo do ano passado.

Na equação entre vendas internas e externas, a produção de 2,19 milhões de veículos nos primeiros nove meses significou pequena alta de 2,9% em relação ao ano anterior.

Ainda segundo o Sindipeças, em relatório divulgado com o desempenho do Setor de Autopeças, no acumulado até agosto, houve avanço nos resultados. O faturamento líquido, por exemplo, apresentou avanço de 1,8% na passagem mensal e contração de 0,5% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Carros europeus, futuro dos carros elétricos, uber, desafios do atual mercado, Automotiva tem melhores resultados
uber, desafios do atual mercado

As vendas para montadoras seguiram crescendo, embora com variações mais modestas quando comparadas ao início do ano. Até agosto, registrou-se variação ao redor de 11,0% no acumulado do período e em 12 meses. O faturamento obtido no mercado de reposição manifestou alta de 6,0% na passagem mensal e interanual e de 6,8% no acumulado em 12 meses. Embora tenha apresentado variação positiva em relação a julho, os embarques para o exterior, mensurados em reais e em dólares, seguiram em queda, quando se toma como base de comparação igual do mês anterior ou o acumulado nos oito primeiros meses do ano.

Vendas intrassetoriais e empregos caíram

As vendas intrassetoriais trouxeram queda de 5,0% frente ao mês imediatamente anterior, mas seguiram com resultados expressivos nas demais métricas de comparação. O emprego apresentou retração pelo sétimo mês consecutivo, variando quase 1,0% frente a julho/19 e acumulando, queda de 3,0% no ano. A utilização de capacidade recuou para 72% em agosto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.