Melhor resultado em 20 meses

ROBOTIC MACHINES WELD BODIES OF KIA CARS IN ITS FACTORY IN ZILINA, 200 KILOMETRES NORTH OF BRATISLAVA OCTOBER 3, 2012. CARMAKERS THAT CUT COSTS LAST DECADE IN WESTERN EUROPE LIKE VOLKSWAGEN, OR THOSE WHO WERE NEVER SADDLED WITH EXPENSIVE FACTORIES THERE, SUCH AS KOREA"S HYUNDAI AND KIA, ARE NOW INVESTING IN NEW DESIGNS, CONQUERING NEW MARKETS AND RAMPING UP PRODUCTION. BETWEEN THEM, VW GROUP, MERCEDES, KIA AND HYUNDAI HAVE RAISED THEIR SHARE OF THE EUROPEAN MARKET TO 35.5 PERCENT IN THE EIGHT MONTHS TO END AUGUST 2012, FROM 30 PERCENT IN THE SAME PERIOD OF 2010. UP THE ROAD IN THE FOOTHILLS OF SLOVAKIA"S FATRA MOUNTAINS, THE MOST MODERN FACTORY OWNED BY KOREAN CARMAKER KIA MOTORS LOOKS SET TO BEAT ITS PRODUCTION GOAL OF 285,000 SUVS, COMPACT AND FAMILY CARS. PICTURE TAKEN OCTOBER 3, 2012. TO MATCH INSIGHT AUTOS-CENTRALEUROPE/ REUTERS/PETR JOSEK (SLOVAKIA - TAGS: TRANSPORT BUSINESS EMPLOYMENT), 07NE0724, 07/09/2016, NEGOCIOS, DIVULGACAO,
Montadoras alcançam o melhor resultado desde 2015

A indústria automobilística brasileira registrou em agosto o melhor resultado em vendas em 20 meses. No mês passado foram vendidos 216,5 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O melhor resultado anterior havia sido registrado em dezembro de 2015, com 227,8 mil unidades.

Também foi a primeira vez neste ano que as vendas, medidas por licenciamentos no Renavan (Registro Nacional de Veículos), ultrapassaram a marca de 200 mil unidades. O resultado de agosto é 17,7% superior ao de igual mês do ano passado e 17,1% melhor que o de julho.

No acumulado do ano, as vendas totais somam 1,42 milhão de veículos, 5,3% a mais em relação ao período de janeiro a agosto de 2016.

O crescimento supera a previsão da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), de 4% para o ano, e pode ser revisto na próxima semana, quando a entidade apresenta o balanço do setor, com dados de produção e exportações.

Com a melhora das vendas internas e exportações em alta, as montadoras estão aumentando a produção e, em razão disso, estão reduzindo medidas adotadas desde 2015, como férias coletivas, suspensão de contratos (lay-off) e programas de redução de jornada e salários.

Em nota, o presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Alarico Assumpção Júnior, diz que o resultado de agosto é reflexo da percepção, por parte de consumidores e investidores, de melhora da economia brasileira. “A queda nas taxas de juros e as boas notícias na retração do desemprego fizeram com que a confiança do consumidor aumentasse”, afirma o executivo.

Segundo ele, a média diária de vendas em agosto, mês que teve 23 dias úteis, foi 4,8% superior a de julho, com 21 dias úteis.

O segmento de automóveis e comerciais leves é o que puxa o crescimento, com 209,8 mil unidades vendidas, 17,8% a mais ante igual mês de 2016 e 17,3% maior que em julho. No ano, o segmento cresceu 5,8%, para 1,38 milhão de unidades.

“A influência na melhora da inadimplência começou a refletir, diretamente, na aprovação de crédito para compra destes veículos”, afirma Assunção.

Já o segmento de caminhões, apesar de registrar crescimento de 6,5% no comparativo anual e de quase 10% de um mês para outro, acumula no ano queda de 10,7%, com 34,5 mil unidades. O mercado de ônibus registrou significativa alta de 30,4% na comparação com agosto de 2016 e de 25,7% em relação a julho, mas, no ano, registra queda de 5,4%, para 10,3 mil unidades.

Consumidores. A venda de automóveis e comerciais leves diretamente para consumidores, que em junho interrompeu um período de três anos e meio de queda, voltou a subir em agosto, após um resultado negativo em julho.

Em agosto, 123,8 mil veículos foram comprados por pessoas físicas, alta de 9,8% em relação a igual mês de 2016. Nos dois primeiros meses em que apresentou crescimento este ano em comparações interanuais, em março e maio, os resultados foram impulsionados por vendas diretas – clientes pessoa jurídica –, como locadoras, produtores rurais e frotistas.

Apesar de agora as vendas para pessoa física também crescerem, o mercado para pessoa jurídica ainda apresenta desempenhos mais favoráveis. Foram 86 mil veículos leves vendidos para empresários em agosto, expansão de 31,7% em relação a igual mês do ano passado.

FONTE: ESTADÃO 01/09/2017