Jornal Brasil Peças

SIEMENS Energy está mais perto de anunciar seu primeiro projeto de hidrogênio no Brasil

SIEMENS Energy – Quando o assunto é o potencial de produção de hidrogênio verde, há quase uma unanimidade: o Brasil desponta ao estilo Ayrton Senna em dia de pista molhada. É pole position e bandeira quadriculada na certa. O Petronotícias abre o noticiário desta semana apresentando os planos e previsões de uma das companhias que quer liderar a produção desse combustível no país: a Siemens Energy. Vamos entrevistar o General Manager da empresa no Brasil, André Clark. O executivo lembra que nossa matriz energética conta com, aproximadamente, 80% de geração de energia renovável, o que garante as condições para a produção de hidrogênio verde. “Justamente por esse motivo que escolhemos o Brasil para ser o hub de hidrogênio da Siemens Energy na América Latina”, frisou Clark. Quando questionado sobre quando a empresa poderia apresentar seu primeiro projeto envolvendo o combustível no país, o diretor trouxe projeções otimistas: “Muito em breve. O Brasil possui todas as condições naturais para isso acontecer e o setor empresarial brasileiro está engajado em promover parcerias nesse sentido”, afirmou. Contudo, ele pede um bom cenário político e econômico para que a Siemens Energy possa seguir com seus planos. “Temos que impulsionar um mercado nacional voltado a essa solução, seja por meio da criação de um marco regulatório como também através de investimento em projetos de hidrogênio que atendam às demandas locais”, ponderou.

A Siemens Energy já tem algumas iniciativas pelo mundo envolvendo hidrogênio verde (parcerias com a Porsche e a China Power, por exemplo). E para o Brasil? Quais são os planos sobre hidrogênio para nosso país?

Aqui no Brasil estamos buscando sócios e empresas industriais que queiram ser pioneiras na utilização desse ativo. Além disso, estamos desenvolvendo parcerias com empresas da iniciativa pública e privada que estão em busca de soluções de hidrogênio verde para ajudar a descarbonizar a sua cadeia produtiva e também colaboramos com grupos de estudo para iniciativas de inovação nessa área.

Quando poderemos ter a primeira iniciativa de produção de hidrogênio da Siemens Energy no Brasil?

Muito em breve. O Brasil possui todas as condições naturais para isso acontecer e o setor empresarial brasileiro está engajado em promover parcerias nesse sentido. É notório também o interesse das empresas no mundo todo em busca de fontes limpas de energia, nas quais o Brasil é campeã e um grande player mundial, que pode ganhar cada vez mais protagonismo global nessa revolução energética, já que grande parte de nossa matriz energética é baseada em fontes renováveis e esse potencial pode ser aproveitado nos processos de eletrólise do hidrogênio.

A atual matriz energética brasileira conta com, aproximadamente, 80% de geração de energia renovável, e alinhada ao grande potencial de crescimento em fontes como eólica e solar, fornecem a base ideal para a produção de hidrogênio verde. Justamente por esse motivo que escolhemos o Brasil para ser o hub de hidrogênio da Siemens Energy na América Latina.

Contudo, dependemos também de um bom cenário político e econômico. Acreditamos que o hidrogênio verde pode ser uma das alternativas para a retomada da economia e garantia de cumprimento das Metas do Acordo de Paris.

Na visão da companhia, o hidrogênio será capaz de substituir a demanda por fontes fósseis no futuro? Quando isso poderia acontecer?]

hidrogênio será mais um aliado na diversificação para uma matriz energética cada vez mais limpa e renovável. A principal função será dar segurança energética como parte da transição para uma geração de energia livre de emissões de carbono.

Como a Siemens Energy quer se posicionar na substituição da frota de veículos movidos por combustíveis fósseis? Qual será o papel da empresa nessa transição?

A eletrificação em massa das frotas como um dos meios para descarbonização da economia é um caminho sem volta. Governos do mundo todo estão impondo metas agressivas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa dos veículos, já que esse setor é responsável por cerca de um terço das emissões.

Nesse sentido, é possível empregar o hidrogênio diretamente como combustível ou também sintetizar outros combustíveis a partir dele, tais como metano e metanol. Nosso objetivo estratégico é de ser o parceiro de escolha no fornecimento de tecnologias para a cadeia do hidrogênio verde como combustível na propulsão elétrica.

Leia a matéria completa em PETRONOTÍCIAS.

Sair da versão mobile