Venda de motocicletas é afetada por falta de peças em Manaus

0
1012

Venda de motocicletas é afetada – A falta de peças nas linhas de montagem de Honda e Yamaha em Manaus (AM) em meses recentes resultou em desabastecimento parcial das concessionárias. Como consequência, a média diária de venda de motos recuou das 4,4 mil unidades registradas entre março e maio para números entre 3,9 mil e 4,2 mil emplacamentos por dia nos meses seguintes. A informação foi confirmada por Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, entidade que reúne fabricantes de motos e bicicletas instalados em Manaus.

“As fábricas programam seus pedidos com antecedência de cinco a seis meses e alguns fornecedores não conseguiram acompanhar o aumento da demanda”, afirma o presidente da Abraciclo.

falta de peças, biz 2020, Honda CG 160, Yamaha YBR, Venda de motocicletas é afetada

O desabastecimento não foi de um item específico, mas de componentes de diferentes segmentos. “E o fato de as fábricas de motos estarem em Manaus e a maioria dos fornecedores em outros Estados aumenta essa dificuldade”, diz o executivo. O problema atingiu especialmente motos de baixa cilindrada das linhas Honda CG 160, Yamaha YBR 150, scooters e motonetas. As fábricas acreditam na normalização do abastecimento até o fim do ano. As motos de alta cilindrada não teriam sido afetadas porque têm demanda menor e baixa dependência de componentes locais.

Emprego e produtividade crescem

Números atualizados fornecidos pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) mostram que de dezembro de 2018 a julho deste ano o setor de motos em Manaus passou de 12,5 mil para 12,9 mil colaboradores, pequeno aumento de 2,9%.

O ano de 2019 é o segundo seguido em que as fábricas contratam e o terceiro em que a produtividade anota crescimento. Durante o ano de 2016, cada trabalhador montou apenas 66 motocicletas. Esse número subiu para 73 em 2017, para 83 em 2018 e a projeção para 2019 é de 85 motos montadas por trabalhador na Zona Franca de Manaus.

Em 2011, o melhor ano para o setor de motos, as indústrias do segmento empregavam 20,5 mil colaboradores e cada um montou 104 motocicletas. A produção total naquele ano superou os 2 milhões de motocicletas.

Fonte: http://www.automotivebusiness.com.br/

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

  Subscribe  
Notify of