ZF inicia produção de novas transmissões automatizadas para caminhões no Brasil

0
7
novas transmissões-Companhia-anuncia-novidades-segmentos- veículos-leves-máquinas-agrícolas

Ao comemorar 60 anos de operações no Brasil completados no fim de agosto, a ZF anuncia novidades relacionadas para a indústria: a empresa iniciou a produção local de duas novas transmissões automatizadas modulares para caminhões, a Traxon, indicada para veículos pesados e a EcoTronic, desenvolvida para modelos médios e semipesados. A localização de ambas, anunciada em 2016, é fruto do ciclo de investimento de R$ 100 milhões iniciados em 2014 e que está sendo concluído este ano. Deste total, R$ 33 milhões foram exclusivamente destinados a banco de testes, protótipos e treinamento para a produção. O investimento também contemplou alterações necessárias nas linhas para receber os novos produtos.

Segundo o diretor de vendas para veículos comerciais e industriais, Silvio Furtado, a produção em série começa no fim desse ano / início de 2019, quando a empresa pretende divulgar também o primeiro cliente da nova transmissão.

Furtado também comemora a nomeação da subsidiária do Brasil em Sorocaba (SP) como a responsável global para o desenvolvimento de sistemas e eixos off-road dedicados ao segmento de máquinas agrícolas para todos os mercados no mundo.

Outra novidade é dedicada ao segmento de veículos leves, para o qual a ZF planeja introduzir sistema de câmeras e radares para modelos do segmento B. Segundo o diretor de vendas para veículos leves na América do Sul, Wilson Rocha, é uma das áreas com grande potencial de chegar ao mercado local no médio e longo prazo. Ele revela que a ZF já testa o sistema por aqui por meio de um conceito que vem sendo utilizado para fazer demonstração para as montadoras.

“A câmera frontal pode ter várias funções porque ela enxerga todo o entorno do carro e isso pode ser utilizado de diversas formas de acordo com a necessidade do cliente. Nosso objetivo é difundir a tecnologia, estamos batendo na porta das montadoras e dizendo que é viável também para a categoria B. Dependendo do retorno, no primeiro momento pode ser importado para depois ser localizado”, afirma Rocha.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

  Subscribe  
Notify of